Entrevistas
Home » Entrevistas
18/12/2009

Entrevista com Reynier Omena Júnior


A entrevista abaixo foi originalmente cedida pelo ornitólogo e guia de birdwatching Reynier Omena Júnior, para o antigo Boletim Informativo do COAVE, em dezembro de 2005.

Omena é graduado em Ciências Biológicas, Especialista em Aves e em Gestão e Análise Ambiental, Consultor em Ecoturismo e em Meio Ambiente.

 

COAVE – Você dedica seu tempo a ornitologia há 15 anos. Neste período, que tipo de mudanças você tem percebido no mercado turístico?

 

Omena – No Amazonas, a procura por roteiros especializados em observação de aves tem aumentado nos últimos quatro anos, mas de forma pouco expressiva. Talvez esse reduzido fluxo seja um sintoma da falta de divulgação dos atrativos naturais que interessam a esse segmento, pelos operadores sediados no Amazonas e no Brasil. No entanto, operadores estrangeiros que divulgam e “vendem” esses atrativos nos países em que estão sediados, têm mantido anualmente seus roteiros para observar no Amazonas e no Brasil.



COAVE – Como foi a experiência de abrir mão de uma carreira em uma grande empresa para dedicar-se à observação de aves?



Omena – Eu trabalhei cerca de 15 anos em um banco Estadual. Observar aves sempre foi um hobby. Eu só tinha os finais de semanas e feriados para me dedicar a ele, quando ia para sítios de amigos e matas ao redor da cidade. É um hobby que tem algum custo que eu mesmo custeava. Às vezes recebia convite de agências locais para guiar grupos de observadores mas eu não tinha disponibilidade de tempo, por causa do banco. Decidi, então, aproveitar um programa de demissão incentivada que o Banco fez, pus um site na internet para vender excursões para observar aves no Amazonas e ingressei num curso de Ciências Biológicas e hoje estou formado. Essa escolha foi uma das mais bem feitas, hoje trabalho com ecologia de aves, meio ambiente, ecoturismo e também dou consultoria nessas áreas.



COAVE – Levando em consideração que o Amazonas é a sua principal área de atuação, e a sua experiência, que local você considera mais atrativo para os turistas de Observação de Aves?



Omena – No Amazonas existem muitos lugares excelentes para se observar aves, tanto pertos de Manaus quanto distantes. Eu vou citar alguns roteiros pertos de Manaus: Presidente Figueiredo, Rio Ariaú e Silves. Esses destinos possuem endemismos e espécies interessantes como Galbula leucogastra, Xiphorhynchus necopinus e espécies interessantes como Cercromacra laeta, Gymnoderus foetidus, Rupicola rupicola entre outras.



COAVE – Que espécies de aves atraem mais a atenção dos turistas de observação de aves?



Omena – Sem sombra de dúvida é o galo-da-serra (Rupicola rupicola), que sempre arranca expressões de espanto e de admiração de todos os turistas que têm a oportunidade de vê-lo em nossas excursões, a cerca de 10 a 15m de distância.



COAVE – Qual o fluxo dos observadores de aves que você guia anualmente?



Omena – Por força de minhas ocupações nesses últimos 2 anos, eu tenho guiado poucos grupos. Para ser mais exato, eu guiei cinco grupos e passei três pedidos de excursões para outro ornitólogo. A partir do próximo ano estarei mais disponível, por isso, nesse início de ano que vem, investiremos mais nesse segmento, criando novos roteiros e desenvolvendo uma estratégia de marketing mais agressiva para atrair o segmento. Em geral, as excursões são sempre marcadas para o segundo semestre: julho a dezembro, porque coincide com o verão. No entanto, às vezes surgem pedidos para excursão de janeiro a março.



COAVE – Qual o perfil da maioria dos observadores de aves que você guia?



Omena – Em geral são dos Estados Unidos e Canadá, vindo tanto homens quanto mulheres (não saberia precisar quanto de cada, mas parece ser equilibrada). A faixa etária oscila entre 45 a 50 anos de idade, em geral são pessoas já estabilizadas financeiramente, empresários, professores, pessoas que possuem formação superior.



PALAVRA ABERTA



No Brasil, são potenciais destinos para observadores de aves, a Mata Atlântica, o Cerrado, as serras, as florestas de terra firme da Amazônia e muitas outras formações vegetais, que abrigam uma fauna de ave singular. Mas é preciso que alguém anuncie essa diversidade biológica para os observadores de aves que estão espalhados na Europa e anuncie como eles poderão observar essas espécies.

Reynier Omena Júnior

E-mai: omena@birding.com.br




Comentários

Não há comentários no momento!

Deixe seu Comentário

Nome

Mensagem
Entre em contato
com o COAVE
Associe-se ao
COAVE e acompanhe
nosso trabalho
Região turística do Vale Europeu - Santa Catarina - Brasil | By Vale da Web